em

Cuidado com o Banco Central

Todo mundo sabe que o cenário macroeconômico não está favorável, e os ruídos de Brasília também não ajudam. Sendo bem sincero, esses ruídos só pioram a situação, quase como colocar gasolina na fogueira.

O impacto da alta do dólar na economia real é brutal; mesmo com uma correção nos preços, o efeito ainda é persistente por meses. A importação de hoje, com a cotação atual, chegará no mercado nos próximos meses. O aumento de preços é refletido diretamente na popularidade do governo.

É um cenário péssimo para um governo que busca resultados nas eleições municipais.

O Banco Central, principalmente nas últimas semanas, enfatizou que não via necessidade de intervenções no mercado de câmbio, mas até onde isso é verdade? Não tenho dúvidas de que existem dois agentes, com muita força, que estão trabalhando nos corredores de Brasília por um teto no dólar: governo e importadores.

Essa intervenção vai acontecer? Não sei, mas posso dizer que, quanto maior a volatilidade, maiores são as chances. 

No final do dia, o mercado é soberano; uma intervenção, ou várias, não altera o cenário estrutural, mas faz muito preço no curto prazo.

Contribuidor

Escrito por João Ascoli

Primeiro LoginPrimeira contribuiçãoPrimeiro ComentárioAutor

O QUE VOCÊ ACHOU?

Deixe um comentário

2 Comentários